Saae não moderniza estrutura da ETA do Éden há anos

Perda de 39% da água tratada soma-se à estiagem para explicar racionamento, segundo vereador

O vereador Carlos Leite (PT), presidente da CPI do Saae, realizou uma diligência à Estação de Tratamento de Água do Éden e à Represa do Ferraz, para investigar o sistema de tratamento e abastecimento de água da região, que sofre com racionamento. A falta de investimentos em modernização de processos e da rede de água foi constatada pelo parlamentar. Além disso, o Saae não conseguiu explicar onde foram usados R$ 5,6 milhões de reais, aprovados pela Câmara de Vereadores em 2011 para investimento no abastecimento da região, uma vez que Reginaldo Schiavi, Gerente de Produção, disse não ter havido investimentos na ETA nos últimos anos.

DSC_0058

Para Carlos Leite, se tivesse havido investimentos em tecnologia e modernização de processos, a falta de água seria menos impactante, uma vez que o Saae perde cerca de 39% da água que trata em vazamentos da rede. O vereador avaliou que o baixo nível da represa – o que obrigou a ETA do Éden a diminuir o tratamento de água de 200 litros por segundo para 140 litros por segundo – não deve ser a única justificativa para o racionamento. “Perde-se quase a metade do que é tratado. Imagine se esses 39% não fossem perdidos. Haveria necessidade de racionamento?”, indaga o parlamentar.

De acordo com Reginaldo, a utilização da água das represas particulares adjascentes e poços artesianos, foi insuficiente para ampliar o período de fornecimento normal de água. “Esperávamos ter mais 10 ou 20 dias de ‘pulmão’ com essas represas, mas a quantidade de água subiu muito pouco”, disse. Para o engenheiro, deve haver um período chuvoso com no mínimo 70 milímetros de chuva para normalizar o abastecimento. Ele cita que há mais de 20 anos Sorocaba não sofria com o problema de estiagem de hoje.

Ampliação

Segundo Reginaldo, o Saae já realizou a contratação da empresa que fará obras de ampliação da capacidade de tratamento de água da ETA do Éden, de 200 para 300 litros por segundo e, futuramente, para 400 litros por segundo, quando será coletada água do Rio Pirajibú, que corre a 600 metros do local e hoje está completamente poluído.

Em abril, a Câmara de Vereadores autorizou a Prefeitura a contrair empréstimo junto à Caixa Econômica Federal no valor de R$ 11 milhões para investimentos nessas obras de ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) do Éden.

Inexplicável?

O Saae não soube explicar, durante a visita do vereador, onde foram utilizados do R$ 5,6 milhões de reais aprovados em 2011 para ampliação do abastecimento de água da região de Aparecidinha e Brigadeiro Tobias.

O Sistema de Abastecimento de Água – Núcleos Residenciais Sociais Aparecidinha, foi orçado em R$ 2.909.373,95, sendo R$ 2.323.499,16 o valor financiado e R$ 580.874,79 de contrapartida com recursos próprios.

O Sistema de Abastecimento de Água – Ampliação do Sistema de Abastecimento de Água no Bairro Brigadeiro Tobias, foi orçado em R$ 2.746.460,49, sendo R$ 2.197.168,39 o valor financiado e R$ 549.292,10 de contrapartida com recursos próprios.

DSC_0019 DSC_0020 DSC_0032 DSC_0036 DSC_0038 DSC_0041 DSC_0044 DSC_0045 DSC_0048 DSC_0049 DSC_0052 DSC_0090

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *